VEREADORES - LEGISLATURA 2017-2020

  • SUDÁRIO LUIZ LOPES FILHO - SUDARINHO
    SUDÁRIO LUIZ LOPES FILHO - SUDARINHO
  • MARCOS GOMES PEREIRA - MARCOS PASSARINHO
    MARCOS GOMES PEREIRA - MARCOS PASSARINHO
  • WILSON ALVES SILVA JÚNIOR – JÚNIOR DA SAÚDE
    WILSON ALVES SILVA JÚNIOR – JÚNIOR DA SAÚDE
  • SEBASTIÃO SOARES DE FREITAS - TIÃOZINHO
    SEBASTIÃO SOARES DE FREITAS - TIÃOZINHO
  • ANTÔNIO CARLOS MARCELINO DOS SANTOS
    ANTÔNIO CARLOS MARCELINO DOS SANTOS
  • ERNANI BARALDI
    ERNANI BARALDI
  • ORFÉLIA ALVES GOMIDES MEIRA
    ORFÉLIA ALVES GOMIDES MEIRA
  • ALEXANDRE ALBERTO ALVES DEMETERCO
    ALEXANDRE ALBERTO ALVES DEMETERCO
  • ELICLEITON MARTINS CASTILHO - CLEITON
    ELICLEITON MARTINS CASTILHO - CLEITON
  • EDIVALDO BATISTA FERREIRA
    EDIVALDO BATISTA FERREIRA
  • FERNANDO AUGUSTO MORENGHI RODRIGUES - TUCURA
    FERNANDO AUGUSTO MORENGHI RODRIGUES - TUCURA

TV CÂMARA

Vídeos, Transmissão ao vivoVer TV

Smaller Default Larger

DEVEDORES DE IMPOSTOS JÁ PODEM RENEGOCIAR DÍVIDAS SEM JUROS E MULTA

Compartilhar

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up

 

 

A Prefeitura de Rifaina já colocou em vigor a lei oriunda do Projeto de Lei nº 05/2019, de autoria do prefeito Hugo César Lourenço, que dispõe sobre a suspensão de juros e multas aos devedores que efetuarem o pagamento ou solicitarem o parcelamento de dívidas com impostos e taxas no município de Rifaina.

 

A Lei autorizou o Poder Executivo a conceder benefício fiscal aos contribuintes devedores que efetuarem o pagamento ou solicitarem o parcelamento de seus débitos tributários e não-tributários até o próximo dia 30 de abril próximo.

PRAZO

Aos contribuintes que até o dia 30 de abril de 2019, quitarem ou solicitarem parcelamento em até 4 parcelas dos débitos de sua responsabilidade, de natureza tributária ou não tributária, cujo lançamento se deu até 2019, será concedida dispensa do pagamento de juros e multa.

Neste caso, o benefício seria estendido aos contribuintes e devedores que estejam sofrendo ação de cobrança judicial desde de que, se tiveram embargado a execução ou de qualquer forma impugnado a cobrança do Município, desistam da ação e efetuem o pagamento do débito, neste caso, também dispensados dos honorários advocatícios fixados pela Justiça, sendo a dívida cobrada pelo seu valor original, abatido o valor pago.